sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Seus olhos não viram

Você perdeu o momento de nós dois

Não viu minha distância aumentar ?
Não reparaste no meu silêncio no meio da multidão ?
Em que lugar seus olhos estavam, que não me viram indo embora ?

É como deixar o bolo passar do ponto no forno ...
Já não tem mais o gosto saboroso da espera ...
O amargo da rotina, que nem mesmo existia ...





5 comentários:

  1. Escrevo para ti...Sabes que é para ti...
    Os nomes não têm cor
    São simples diagramas em conflito
    Os nomes são muda sinfonia de sonata em desamor

    Serei um barco vencendo rotas novas
    Aplanarei as rugas de todas as montanhas
    Vai arder novamente este sofrido coração
    Hoje tive vontade de pintar uma oração


    Terno beijo

    ResponderExcluir
  2. Ouvi o vento e a música
    Procurando um porto na madrugada
    Ouvi a chegada de um navio
    Julguei sentir uma voz amada

    Meu Armando, meu amor...
    Uma criança jogando lama ao meio dia
    Embrenhada e perdida na alma
    Com rimas colorindo pálpebras de nostalgia

    Doce beijo

    ResponderExcluir
  3. Na elegante e fina escrita da tua pena

    Às vezes é preciso acordar o silêncio da memória
    Ou esperar pelo adormecimento inadiável
    Com o gesto sereno e demorado da ternura
    Com o acordar do amor rompendo o improvável


    Um radioso fim de semana



    Doce beijo

    ResponderExcluir
  4. Na elegante e fina escrita da tua pena

    Às vezes é preciso acordar o silêncio da memória
    Ou esperar pelo adormecimento inadiável
    Com o gesto sereno e demorado da ternura
    Com o acordar do amor rompendo o improvável


    Um radioso fim de semana



    Doce beijo

    ResponderExcluir
  5. Muitas perguntas para que a poesia da vida responda.
    Parabéns!!! :)

    ResponderExcluir